NULL

SIG Intervenções Psicanalíticas

Apresentação

Tem como objetivo ampliar a participação dos psicanalistas no âmbito do social/institucional através do trabalho da escuta individual e em grupo, considerando os conceitos de pertencimento, pertinência e identificação.

SIG/Clínicas do Testemunho

Livro-Clínicas-do-TestemunhoApresentação: Projeto que funciona desde janeiro de 2013, vinculado à Comissão de Anistia/ Ministério da Justiça que tem como metas núcleo de atenção psicológica aos afetados pela violência de Estado entre os anos de 1946 a 1988 com atendimento individual e de grupo, através de grupos de testemunho com anistiados, anistiandos e familiares (filhos e netos). Promove também capacitação para agentes de saúde e profissionais que trabalham no campo da violência de Estado.

O Projeto realiza Conversas Públicas com discussão de filmes, textos, temas que estão implicados com a violência e seus efeitos. Busca tornar público os acontecimentos ligados às práticas e aos efeitos da ditadura civil-militar brasileira, com vista a quebrar o silenciamento imposto a este tema, bem como oportunizar que se coletivize a experiência vivida e calada das pessoas que viveram este período da história brasileira.

O Projeto é desenvolvido em 3 capitais brasileiras RS, RJ e duas em São Paulo que formam a Rede Clínicas do Testemunho.

Quem somos: participam do projeto psicanalistas e psicólogos que integram a equipe do SIG/Clínicas do Testemunho.

Alexei Indursky, Alice Telmo, Angela Becker, Carlos Augusto Piccinini, Cristina Herbstrith, Daniela Feijó, Karine Szuchman,  Lisiane Leffa, Lísia Refosco , Luciana Lara, Marilena Deschamps Silveira, Renata Ribas, Thais Chies.

Supervisores: Bárbara de Souza Conte, Eurema Gallo de Moraes, Eneida Braga, Karin Wondracek, Rosana Steffen.

Coordenação do Projeto: Bárbara de Souza Conte

Inscrição: até 30 de abril de 2015 – anistiados, anistiandos e familiares ligar para 30627400.

Programação:

Clique aqui para baixar o Livro (PDF)

Clique aqui para baixar o Relatório Final Rede Clínicas do Testemunho (PDF)

Lançamento Projeto Clínicas do Testemunho 2016/17: Associação Psicanalítica de Porto Alegre

Rede Latino- Americana de Reparação Psíquica (RLARP)

Apresentação: A Rede Latino-Americana de Reparação Psíquica (RLARP) é instituída para articular, por meio da promoção de cooperação técnica, metodológica e teórica, as diversas entidades da sociedade civil e equipamentos públicos que oferecem serviços de reparação psíquica e de atenção psicossocial destinados a afetados pela violência do Estado no passado e no presente. A RLARP tem também a finalidade de requerer a implementação de políticas públicas de reparação psíquica, inseridas na perspectiva da atenção integral à saúde dos afetados.

Clique aqui para ler Ata de Fundação

Articulação das Entidades Psicanalíticas Brasileiras

Apresentação: A Articulação das Entidades Psicanalíticas Brasileiras é um movimento criado em 2000 em função de projetos de lei que visavam à regulamentação da psicanálise, sobretudo a partir da política de saúde subvencionada pelo Estado. Este grupo reúne 17 instituições representativas do campo da psicanálise que assinaram o Manifesto contra o projeto de lei n. 3944, de autoria do deputado Elber Silva, do Rio de Janeiro, que veio a ser arquivado. O grupo se reúne no Rio de Janeiro e ao longo deste tempo, produziu o livro Ofício do Psicanalista, formação vs regulamentação, editado em 2009 pela Casa do Psicólogo, tendo como organizadores Sonia Alberti, Wilson Amendoeira, Anchyses Lopes e Eduardo Rocha.
A Sigmund Freud Associação Psicanalítica, que assinou o manifesto com seu antigo nome, participa desde 2010 dos debates que norteiam os encontros. Os pontos discutidos desde que iniciamos nossa representação foram:
– o parecer jurídico que resultou no arquivamento do projeto lei n.64 de 2009, que dispunha sobre a regulamentação do exercício das atividades de terapias, a criação de Conselhos Federal e Regionais de Terapeutas que inclui a psicanálise;
– as representações contra o site do Conselho Brasileiro de Psicanálise (http://www.cobrpsi.org) que se intitula uma instituição nacional não governamental com atribuições de auto-regulação e normatização da prática psicanalítica, representada em todo o território nacional, com cadastro de psicanalistas de vários estados, inclusive o Rio Grande do Sul. Foi realizada representação nos Ministérios Públicos dos estados representados no Articulação.
– mobilização e manifesto encaminhado para a presidência da República contra o PL do Ato Médico que foi rejeitada e arquivada na forma como estava proposta em 2014.
– mobilização e manifesto contra o fechamento do CRIA em São Paulo, que resultou favorável ao não fechamento
-em 2015 iniciou o debate sobre os fundamentos deste movimento e a proposta, que está em andamento, de novo livro. O ponto fundamental do debate é o da laicidade da psicanálise.

As reuniões têm coordenação rotativa e se realizam 2 vezes por ano no Rio de Janeiro.

Programação: Próxima reunião: 16 de abril de 2016

Representante: Bárbara de Souza Conte

Escola Lígia Averbuck

Apresentação: Este trabalho teve origem em uma intervenção em 2010 e 2011, com professores e supervisores da SMED (Secretaria Municipal de Educação) com quem realizamos um grupo de escuta com o tema da inclusão/exclusão, a partir do trabalho dos professores que buscavam construir princípios fundamentais de cidadania às crianças com deficiência e transtorno a fim de integrá-las nas escolas de educação infantil e minimizar os atrasos instrumentais no processo de aprendizagem e sociabilidade.

A partir de 2012 iniciamos com os professores do Colégio Lígia Averbuck um grupo de escuta que tinha o objetivo de trabalhar o processo de inclusão/exclusão no  grupo dos professores, e os efeitos das dificuldades encontradas enquanto grupo.

Ao longo do tempo fomos ampliando nossa participação e em 2014 realizamos um grupo de mães e um grupo de monitores.

Quem somos: Bárbara de Souza Conte, Carlos Augusto Piccinini, Isabel Doval, Thais Chies.

Outros Projetos

  • Clínica com refugiados em parceria com o programa de reassentamento da Associação Padre Antônio Vieira – ASAV desde 2011
  • Colégio Estadual Piratini – grupos com professores (2012)
  • Colégio Estadual Daltro Filho – grupos com professores (2012)
  • Projeto Interagir – grupo com os monitores e professores dos programas sócios do Inter (2011)